Cão sobrevive e torna-se cão do ano

Foto Cão sobrevive e torna-se cão do ano de 2013

Cão sobrevive e torna-se cão do ano. A American Society for the Prevention of Cruelty to Animals (ASPCA), atribuiu a Xena, uma cadela do estado de Georgia, o prémio nacional mais honroso: o cão do ano. A história de Xena já está a inspirar o mundo não só por ter sido uma sobrevivente, mas por ter sido uma salvadora.

Em 15 de Setembro de 2012, um funcionário do controlo animal de DeKalb, na Georgia, respondeu a uma chamada telefónica acerca de uma cachorra pit bull extremamente desnutrida que tinha sido abandonada num quintal.

O funcionário foi buscar a cadela que se encontrava à beira da morte e levou-a para a associação Friends of Animals DeKalb. Como a probabilidade de sobreviver era mínima, uma das fundadoras da associação decidiu levá-la para a sua casa de modo a proporcionar-lhe um final de vida mais descansado. Por milagre, a pequena cachorra conseguiu recuperar e foi-lhe dado o nome de Xena. Após um mês o seu estado mudou do dia para a noite.

Xena foi então posta para adopção e em Março de 2013 Linda Hickey tomou a decisão de ficar com ela. Até então este caso parecia igual a tantos outros, no entanto, o que fez com que a ASPCA atribuísse a Xena o prémio de cão do ano não foi a sua recuperação incrível mas sim a ligação especial que Xena estabeleceu com Jonny, o filho autista de 8 anos de Linda Hickey.

Antes de Xena entrar na vida de Jonny, este raramente comunicava com pessoas e isolava-se nas suas actividades. Segundo Linda, “Antes da Xena entrar nas nossas vidas a casa era um silêncio total, agora soltam-se gargalhadas”.

“Xena ensinou Jonny a ser expressivo e até táctil. Ele dá-lhe beijos na cabeça, algo que nunca teria feito anteriormente”, explica Linda à NBC News.

“Passou a transbordar felicidade como eu nunca tinha visto em 8 anos”, diz Linda emocionada.

Além do prémio que Xena recebeu, Jonny e Xena continuam a espalhar uma mensagem de companheirismo demonstrando os benefícios na relação entre os animais e as pessoas com autismo, não só pelos EUA mas por todo o mundo. Ao promover esta relação de amizade, a família pretende promover a consciência sobre o autismo e a crueldade contra os animais.

Como Jonny diz: “A Xena foi ferida muito gravemente por pessoas não tão boas. Eu tenho autismo. Por isso, acho que somos a equipa perfeita para espalhar pelo mundo a mensagem de que devemos ser bons para os animais e para crianças, como eu”.

Veja aqui uma das reportagens sobre esta notícia

Fonte: doglink.pt

Deixa o teu comentário, não precisa de registo

error: